Teorias da Motivação

Conceito de Motivação

Funcionários Motivação Administração

Dentro de cada indivíduo, há uma força interior que, de acordo com cada momento vivido por ele, intensifica e direciona seus objetivos. São os aspectos emocionais dos indivíduos nas organizações que são classificados como fatores determinantes no desempenho.

Esse conjunto de forças é o que orienta o comportamento do indivíduo para um determinado objetivo.

De maneira geral, o que impulsiona o homem a agir de modo “x”, ou mesmo dando origem a um comportamento específico, sendo este impulso à ação provocado por um estímulo vindo do ambiente (externo), ou também gerado a partir dos processos mentais do indivíduo (interno).

Pode-se dizer que o que leva o organismo a agir é o motivo. Necessidade, impulso e resposta, ou meta, são as três etapas que compõem o ciclo motivacional. Necessidade dá origem ao impulso que, se satisfeito, permite que a meta seja atingida.

 

A motivação das pessoas na organização é complexa, pois depende de vários fatores, sejam eles internos (sua própria personalidade, emoções, capacidade de aprendizagem, valores, etc.), ou externos (características organizacionais, fatores sociais, política empresarial, sistemas de recompensas e punições, etc.).

Existem alguns tipos de motivação, como:

Motivações fisiológicas

Básicas e primárias, garantem o equilíbrio orgânico. Ex: sono, dor, fome e sede.

Motivações sociais

Adquiridas e secundárias, são aprendidas através do processo de socialização.

Ex:

Necessidade de afiliação – ser aceito em um grupo.

Necessidade de realização/sucesso – ser bem sucedido em diversas situações desafiantes, criando motivações intrínseca (prazer em realizar algo) e extrínseca (realização de algo para obter recompensas, como elogios, dinheiro, premiação).

Necessidade de poder/prestígio – busca por uma posição de nível elevado na sociedade e também por admiração. Um bom exemplo são os lugares de chefia disputados pelas pessoas.

Motivações combinadas

Combinação de fatores biológicos e sociais. Elas são aprendidas de acordo com o tempo e cultura do indivíduo. Não são essenciais à sobrevivência, mas à manutenção do equilíbrio do organismo. Ex: comportamento sexual e maternal.

Motivações cognitivas

Essas motivações se baseiam na curiosidade, para saciar a necessidade de informação e conhecimento. Ex: conhecimento da vida em sociedade, para compreensão e explicação da realidade.

Conceito de Frustração

Quando há um bloqueio, algo que impede que um desejo ou objetivo sejam alcançados, dá-se o nome de frustração. Esses obstáculos aparecem para confrontar o comportamento motivado do indivíduo. Existem dois tipos de frustração: primária, que resulta na ausência de satisfação para a motivação; e a secundária, que resulta na colocação de um obstáculo entre essas motivações.

Alguns aspectos como idade e aprendizagem são fatores de tolerância à frustração, associada à socialização, ensinando o sujeito a lidar com ela, assim como a sua maneira de reação. Essas reações podem ir de agressão direta - sujeito agride aquele que lhe provocou frustração - à apatia, e agressão deslocada – transferência de frustrações para elementos que não foram responsáveis por ela. Quando o sujeito agride a si mesmo, na qual também ocorre uma forma de agressão deslocada, dá-se o nome de auto-agressão.

Conceito de Conflito

Conflito é um tipo de situação vivida pelo sujeito, em que existem diferentes tipos de motivação não compatíveis se opondo. Existem três tipos de classificação de conflito, como o de aproximação/aproximação – quando há duas ou mais forças positivas, e só é possível escolher uma; o de afastamento/afastamento – existências de duas alternativas desagradáveis, e o sujeito hesita por qual delas evitar; e o de aproximação/afastamento – indivíduo se encontra em uma situação que é, ao mesmo tempo, positiva e negativa.

Teoria de Maslow

De acordo com Abraham Maslow, assim que o homem supre suas necessidades, ele se motiva. Tais necessidades humanas são definidas em 5 níveis dentro de uma hierarquia. Somente quando um nível inferior está satisfeito, é que um nível imediatamente superior surge no comportamento da pessoa.

As necessidades são divididas, em nível crescente, da seguinte maneira:

Necessidades Fisiológicas (ou básicas): relacionadas ao organismo, como sono, fome, desejo sexual, e dominam o comportamento humano;

Necessidades de Segurança: busca estabilidade e proteção contra ameaças externas;

Necessidades Sociais: procura sentir-se parte de um grupo, ser aceito;

Necessidades de Auto-Estima (ego): como o indivíduo se vê e se avalia - deseja reconhecimento de sua competência;

Necessidades de Auto-Realização: sucesso pessoal, auto-satisfação, concretização das capacidades pessoais.

Teoria Maslow Administraçao

Essa cadeia não é engessada, mas sim flexível, pois, apesar das necessidades fisiológicas serem as primeiras do processo motivacional, vai depender do indivíduo a definição do que ele vem a enxergar como prioridade.

Teoria de Herzberg

Segundo Frederick Herzberg, dois fatores são preponderantes para o alcance da motivação, são eles:

Fatores Higiênicos (extrínsecos)

Localizados no ambiente e controlados pela organização. Abrange as condições que as pessoas trabalham. Se não atendidos, podem causar insatisfação, ou seja, são fatores esperados na relação de trabalho. Ex: salário, benefícios sociais, tipo de chefia, condições físicas e ambientais do trabalho, regulamentos internos, etc. De maneira geral, o desempenho e ações tomadas pelo indivíduo são melhorados por estímulos externos; porém, esses mesmos estímulos não o motiva.

Fatores Motivacionais (intrínsecos)

Estão dentro do indivíduo, envolvem sentimento de crescimento individual, reconhecimento profissional e auto-realização gerados através de seus atos.

Herzberg concluiu, a partir disso, que apenas o trabalho em si e os fatores diretamente relacionados a ele podem motivar as pessoas. Estes 2 fatores não possuem relação direta entre si.

Teoria de McGregor

Descreveu os fatores motivacionais, agrupando em:

Fatores Extrínsecos: salário, benefícios e promoção.

Fatores Intrínsecos: auto-respeito, capacidade de solucionar problemas, autonomia, aquisição de novos conhecimentos.

Motivação intrínseca ao indivíduo: os elementos motivadores, que apenas potencializam as suas ações, funcionam se, e somente se,  o indivíduo já estiver motivado por algum fator pessoal (intrínseco).

Teoria X: fundamentada em Taylor, o homem é avesso ao trabalho e à responsabilidade. O estilo de gestão deverá ser autoritário e coercitivo.

Teoria Y: baseada na teoria humanística, as pessoas não são aversas ao trabalho, aceitam responsabilidades e não são passivas às necessidades da empresa.

Profecia auto-realizável: tendência de os indivíduos ajustarem seus comportamentos à expectativa que outros, em níveis hierarquicamente superiores, têm em relação ao seu comportamento.

Teoria de McClelland

Esse teórico identificou três necessidades caracterizadas como pontos-chave para se obter motivação. Segundo McClelland, as pessoas são divididas em: uma minoria desafiada pelas oportunidades e uma maioria que não são capazes, nem dispostas a enfrentar desafios para alcançar objetivos.

Teoria da Motivação pelo Êxito e/ou Medo: motivos que orientam o comportamento humano:

  • Realização (competir);
  • Afiliação (relacionar-se);
  • Poder (exercer influência).

Essas necessidades são adquiridas no decorrer da vida, conhecidas como secundárias, e trazem sensações que o ser humano gosta de experimentar, como prestígio e status.

Teoria de campo de Lewin

Kurt Lewin discorre nesta teoria sobre a ligação entre o comportamento social e o importante papel da motivação. Duas suposições foram fundamentais para a conclusão de sua pesquisa; uma delas, era de que os fatos coexistentes dão origem ao comportamento humano; a outra, é de que tais fatos coexistentes atuam em um campo dinâmico, em que cada uma das parte desse campo é interdependente das demais partes. Conclui-se que as necessidades atuais do indivíduo estão relacionadas com a interpretação e percepção do ambiente pelo mesmo.

Teoria de Victor Vroom

Teoria da Expectativa (ou Expectância): o desempenho do indivíduo depende de seus objetivos pessoais, e o comportamento produtivo é um meio de consegui-los. Vroom acreditava que o individuo atinge objetivos por expectativa de satisfação pessoal, e não por necessidade. De acordo com a teoria, diferentes pessoas reagem de maneira diferenciada perante uma situação em que sejam colocadas.

Nesta teoria, três fatores determinam a motivação para produzir, em cada indivíduo. São elas:

  • Força de vontade para atingir metas, ou seja, objetivos pessoais;
  • A percepção que o indivíduo tem sobre a relação entre produtividade e o alcance de seus objetivos;
  • À medida que o indivíduo percebe a capacidade que tem de poder influenciar seu próprio nível de produtividade.

Teoria de Lawler – Expectação

Lawler acreditava, a partir de suas pesquisas, que o dinheiro poderia influenciar e motivar o desempenho e outros tipos de comportamento do funcionário dentro do trabalho. O companheirismo e a dedicação à organização eram alguns desses tipos de comportamento. Verificou-se, depois de um tempo, que o dinheiro, na verdade, tem pouca potência motivacional, em consequência de sua incorreta aplicação pela maior parte das empresas.

De qualquer modo, ele concluiu que o dinheiro até pode ser um poderoso motivador, desde que as pessoas acreditem na ligação direta ou indireta entre o aumento da remuneração, por exemplo, e os desempenhos dentro da organização. O resultado financeiro desejado pode ser uma meta a ser atingida, caso o funcionário perceba que isso dependerá do seu desempenho.

Teoria de Chester Barnard

Teoria da Aceitação da Autoridade: a autoridade depende não do superior, mas do subordinado em aceitá-la ou não, quando:

  • entende a ordem(comunicação);
  • julga compatível com os objetivos pessoais e da empresa, e é capaz de cumprir a ordem.

Teoria Psicanalítica

Elaborada por Freud, essa teoria afirma que as razões de carácter inconsciente, orientadas por pulsões (impulso energético ou força que conduz o organismo a uma determinada direção e fim, para reduzir a tensão consequente de uma excitação corporal, obtendo prazer.), fundamentam o comportamento humano.

Dentre os pensamentos de Freud, existem os mecanismos de defesa do ego, que visam evitar as angústias originadas dos conflitos intrapsíquicos, ou seja, aqueles cujas pessoas utilizam para tentar reduzir a tensão e ansiedade resultantes dos conflitos entre o id, o ego e o superego.

Destacam-se, entre estes mecanismos, o recalcamento – transmissão das pulsões, desejos e sentimentos, que não são admitidos pelo ego, para o id; regressão – quando há um retorno a uma fase anterior de comportamento; racionalização – justificativas ilusórias utilizadas pelo sujeito, por um comportamento não aceitável; projeção - atribuição de desejos, ideias à sociedade, pessoas e objetos, por não admitir tais características em si mesmo; deslocamento – transferência de emoções e pulsões dos objetos que geram ameaças, para os que geram menos ameaças; formação reativa – manifestação de comportamentos opostos às verdadeiras pulsões; e sublimação - o objeto das emoções do indivíduo é substituído, de modo que possa se manifestar em modalidades socialmente aceitas.

Teoria de Nuttin – Cognitiva e Relacional

O teórico Nuttin declara que não é da carência ou desequilíbrio do organismo que surge o comportamento do indivíduo, mas sim de algo que ele define como “dinamismo temporal”, ou seja, uma razão que direciona o indivíduo ao desenvolvimento e progresso. Segundo o mesmo, as aspirações, projetos e desejos são pensados para o futuro, com a construção de planos de ação. Necessidades, motivos e finalidades de ação possuem uma personalização, de acordo com a pessoa, suas mentalizações e projetos de vida.

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Gostou do conteúdo? Compartilhe!


Questões de Concurso

Respondendo prova de simulado

Para treinar e se aperfeiçoar, o ideal é responder a questões que irão testar os seus conhecimentos em concursos públicos. Confira em nossa site.

Questões de Concurso

Matérias do Concurso

Estudantes lendo livro Concurso Público

Você já escolheu a área em que você vai prestar concurso público? Se sim, aproveite para ler os conteúdos que mais caem nas provas.

Matérias do Concurso

Edital de Concurso

Ler livros óculos

Nesta seção você encontra os editais de concursos separados por áreas. Escolha uma área de seu interesse e fique por dentro de tudo sobre a vaga escolhida!

Edital de Concurso